CONJUNTURA DA ARTE

Perspectivas do Colecionismo de Arte Contemporânea no Brasil

 

Colecionadoras e colecionadores desempenham historicamente papel fundamental na estruturação, condução e desenvolvimento do sistema das artes visuais. No contexto contemporâneo, o colecionismo privado tem se complexificado pela incorporação de novas práticas que impõem dinâmicas no cotidiano das coleções e na vida de quem coleciona arte.

 

É sempre oportuno investigar quais são as noções que estão sendo constituídas no tempo presente no exercício do colecionismo de arte contemporânea, qual seria o possível conceito que define uma coleção, quais limites de atuação de quem coleciona e mesmo quando alguém se torna colecionadora ou colecionador. É preciso ter critérios para colecionar? Quais seriam? Como, onde e quais obras são adquiridas, como são organizadas, acondicionadas e para quem são expostas? Como a regulação do mercado de arte opera no colecionismo? E qual é o futuro de uma coleção?

 

Estas e outras questões fazem parte da primeira pesquisa de campo de abrangência nacional sobre a prática do colecionismo de arte contemporânea, que busca levantar dados e informações para auxiliar na análise de sua contribuição ao desenvolvimento do campo artístico na contemporaneidade.

 

Com base em pesquisas como a Collecting in the Digital Age International Collectors Survey, realizada pela AXA ART, com mais de 900 colecionadores internacionais, e a Collectionneurs D’art Contemporain: des acteurs méconnus de la vie artistique, coordenada por Nathalie Moureau e Dominique Sagot-Duvauroux, na França, foi construído um questionário com 45 questões na plataforma Google Forms.

 

Com fundamentação metodológica e embasamento de aportes da História da Arte, da Estatística, do Direito e da Sociologia, o questionário aborda distintas questões sobre os processos que compõem o colecionismo de arte contemporânea no Brasil.

 

Com sigilo e anonimato a quem participa, o tempo de resposta não ultrapassa de 20 a 25 minutos. O resultado do questionário será publicado em um livro editado em português e inglês, para divulgação no Brasil e no exterior. Sua participação neste processo é fundamental.

 

Acesse o formulário aqui.

 

 

:: PROPONENTES
Nei Vargas da Rosa: pesquisador e doutorando em Artes Visuais , ênfase em História, Teoria e Crítica da Arte no Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, UFRGS.
Luciana Nunes Neves: professora do Programa de Pós-Graduação em Estatística da UFRGS. Bacharel em Estatística, Mestra e Doutora em Epidemiologia na UFRGS e Pós-Doutora pela International Agency for Research on Cancer (Lyon-França).

 

:: CONSULTORIA PARA O QUESTINÁRIO
Maria Amélia Bulhões e Bruna Fetter (IA/UFRGS), Akio Aoki (Galeria Vermelho), Regina Pinho de Almeida (ICCo), Marcílio Toscana Franca Filho, (MPJP e UFPB) e Nathalie Moureau (Université Paul Valery/França).

 

:: FINANCIAMENTO
Compreendendo a importância e o alinhamento da proposta a instrumentos internacionais da mesma natureza, o Instituto de Cultura Contemporânea, o ICCo, financia a pesquisa realizada entre março de 2018 a junho de 2019. Ao estimular a formulação de subsídios a colecionadores, agentes do mercado
de arte, pesquisadores nacionais e internacionais, o ICCo segue sua missão de contribuir para o desenvolvimento da arte contemporânea.

gallery/icco
www.000webhost.com